Antiguidades de hoje (V)

Num álbum

O poeta é um ente sempre enfermo,
Nas algibeiras nunca tem dinheiro,
Sustenta-se do ar como o pinheiro,
E assim como o pinheiro habita o ermo.

João de Deus, Campo de Flores,  1893.

Advertisements