Do etimológico, segundo António Barahona

O poeta é perverso,
isto é etimologicamente:
caminha pelo verso.

Excerto de «Numa esplanada da Rua Garrett», in O Som do Sôpro, Lisboa, Poesia Incompleta, 2011, p. 65.